segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Operação Arcanjo



2.BIL (Batalhão de Infantaria Leve do 2.BC)
Operação Arcanjo no Rio de Janeiro,
uns entram neste ônibus para Turismo,
outros para doarem as próprias vidas se preciso for.
(matéria com Victor Miranda)













2.BIL-10 Ordem Unida, antes da partida para Operação Arcanjo

no Rio de Janeiro, conforme no rodapé da foto publicada.

***
Visite

11 comentários:

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Maravilhosa foto/reportagem!

Tadeu Ferreira Jr. disse...

Questão de visão Baraça. Quem tem, tem. Quem não tem...

teca disse...

Uma reportagem espetacular!
Parabéns!
Um beijo carinhoso.

tossan® disse...

Olá Baraçal, é assim mesmo, o campo de visão fotográfica dos editores atuais desse grande Jornal da nossa cidade é limitado e sem a tal sensibilidade mesmo. Eles não sabem o que representa um bom seqüencial fotográfico extraordinário como este. Perdoai-vos Senhor, eles não sabem o que não enxergam! Parabéns! Abraço

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
Bela reportagem como é habito na tua pessoa ...

Um abraço e bom f-d-s

in natura disse...

Mas, está escrito Turismo no ônibus! Que reportagem ótima daria hein! Realmente Tossan tem razão, a visão do editor encarregado desse "Jornal ECO" é nula!
Excelentes fotos de reportagem Baraçal! Beijus

Armindo C. Alves disse...

Nervosismo da partida, ou "secretismo" da missão.
Destino patriótico, "camuflado" de turismo.
Uma questão de pormenor (?).

Abraço

Armindo C. Alves disse...

Sem saber porquê,não saiu todo o comentário. Junto agora a parte em falta.

Boa sequência, em tudo contrastando com o p/b do jornal.
O registo daria até outras formas de aproveitamento.
Questão de pormenor ou visão.

Boa semana, Braçal.

Anônimo disse...

Meu caro, não é só a incapacidade dos editores em perceber o detalhe, a inteligência, a beleza e a ironia presentes em uma foto como essa. Além da incompetência crônica, de enxergar e não ver, de ler e não entender, de editar um caderno do litoral sem nunca ter pisado numa sucursal, de não diferenciar Guarujá de Bagdá, os profissionais que editam o citado periódico centenário enrentam diariamente o dilema de não ferir o ego dos amigos e bajuladores da família que comanda o jornal. Então, deixam de publicar uma obra de arte como essa!!!!! Isso poderia parecer provocação, poderia incomodar os rotarianos, os amigos da fortaleza e todos os demais puxa-sacos, hipócritas e conservadores que lêem e comandam esse jornal... Afinal, onde já se viu: publicar uma foto como essa pode impedir que o Roberto Antônio ganhe mais uma medalinha, mais uma homenagenzinha... Grande abraço e parabéns.

nilson regalado

Anônimo disse...

Belíssima sequencia de fotojornalismo em movimento, Baraçal, tem certeza que este jornal tem um editor de fotografia? Nesse caso me ofereço como costureira a exercer esse cargo sem renumeração.

Um beijão da amiga, Karina

Armindo C. Alves disse...

Caro BRAÇAL
Onde anda?
Tenho notado a sua falta.

Um abraço.